quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Ska-P - El Vals Del Obrero (A Valsa do Obreiro)

Fiz mais uma tradução, para quem gosta de Ska e política é um prato cheio!



Orgulhoso de estar entre o proletariado
É difícil chegar ao fim do mês
E ter que suar e suar
Para ganhar o nosso pão
Esse é meu lugar, essa é minha gente
Somos obreiros, a classe preferente
Por isso, irmão proletário, com orgulho
Eu te canto esta canção
Somos as revolução.
Sim senhor, a revolução
Sim senhor, sim senhor, somos a revolução

Teu enemigo é o patrão.

Sim senhor, sim senhor, somos a revolução.
Viva a revolução!

Estou até o pescoço de aguentar esses sangue sugas.
Aqueles que roubam a nossa dignidade
Minha vida se consome suportando essa rotina
que me afoga cada dia mais.

Feliz o empresário, mais calos nas minhas mãos
Meus rins vão explodir
Não tenho um puto duro, mas continuando cotando
A seu estado do bem estar.

Resistencia!

Esse é meu lugar, essa é minha gente
Somos os obreiros, a classe preferente
Por isso, irmão proletário, com orgulho
Eu te canto esta canção, somo as revolução.
Sim senhor, a revolução
Sim senhor, sim senhor, somos a revolução
Teu enemigo é o patrão.
Sim senhor, sim senhor, somos a revolução.
Viva a revolução!

Nesta democracia, tem muito expertinho que lucra
Exprimindo a nossa classe social.
Estão pouco se fudendo se você tem 14 filhos
E a vovó nao pode operar.

Somos os obreiros, a base desse jogo
Neste que sempre perde o mesmo otario
Um jogo bem pensado, que nos tem calados
E te fodem se nao queres jogar.

Resistencia!
Des-O-Be-Dien-Cia!

.............................................
Original:


Orgulloso de estar entre el proletariado
Es difícil llegar a fin de mes
Y tener que sudar y sudar

"pa" ganar nuestro pan.
Éste es mi sitio, ésta es mi gente

Somos obreros, la clase preferente
Por eso, hermano proletario
Con orgullo
yo te canto esta canción
Somos la revolución.

¡Si señor!, la revolución
¡Si señor!, ¡si señor!, somos la revolución
Tu enemigo es el patrón
¡Si señor!, ¡si señor!, somos la revolución
Viva la revolución.
Estoy hasta los cojones de aguantar a sanguijuelas
Los que me roban mi dignidad.


Mi vida se consume soportando esta rutina
que me ahoga cada día más.
Feliz el empresario, más callos en mis manos

Mis riñones van a reventar.

No tengo un puto duro
Pero sigo cotizando
a tu estado del bienestar.
¡Resistencia!

Éste es mi sitio, ésta es mi gente

Somos obreros, la clase preferente
Por eso, hermano proletario
Con orgullo
yo te canto esta canción
Somos la revolución.

¡Si señor!, la revolución
¡Si señor!, ¡si señor!, somos la revolución
Tu enemigo es el patrón
¡Si señor!, ¡si señor!, somos la revolución
Viva la revolución.

En esta democracia
Hay mucho listo que se lucra
 exprimiendo a nuestra clase social.

Les importa cuatro huevos si tienes catorce hijos
Y la abuela no se puede operar.
Somos los obreros
La base de este juego
En el que siempre pierde el mismo "pringao"
Un juego bien pensado
En el que nos tienen callados

Y te joden si no quieres jugar.

¡Resistencia!

¡des-o-be-dien-cia!

0 comentários: